15 de abril de 2015

Resenha do Livro: Os Verdadeiros Gigantes

Título: Os Verdadeiros Gigantes 

Autor: Charles William Krüger

Editora: Cata-vento

Ano: 2014

Especificações: 154 páginas

  Mais uma vez eu tive a honra de fazer uma parceria com um autor nacional e receber seu livro. Trata-se do incrível Charles William Krüger, que conseguiu me surpreender com essa Fantasia mesmo eu já tendo altas expectativas pela obra antes de lê-la. E tem coisa melhor do que ter uma leitura legal? Então cá estou eu com a intenção de te apresentar este livro.






  Os Verdadeiros Gigantes é uma história que explora o ponto de vista dos anões, personagens sempre presentes no gênero Fantástico, mas que costumam ser menosprezados ou até ridicularizados. Contudo, neste livro, somos apresentados a um belo caso em que a força, capacidade, fé e coragem do povo anão ocupam o papel principal.
  Mesmo havendo essa ideia grandiosa na trama, ainda há um personagem protagonista. Este é Rodan, um anão que busca vingar a morte do pai, embora prefira dizer que está apenas fazendo justiça. Em um capítulo muito tocante descobrimos que seu pai foi morto, junto com mais doze anões, por um batalhão de orcs.
Eram treze, mas já tinham sido dezoito e seus corações choravam por isso. Os cinco outros não eram agora mais que um punhado de lembranças saudosas e cinzas ao vento, distantes demais de sua terra natal para terem seus corpos imortalizados em câmaras funerárias, próximos demais para terem sua bravura e morte esquecida. A pira improvisada queimou, a brisa soprou e espalhou, e a vida seguiu. Para treze deles.
  Inicialmente Rodan parte sozinho, mas seus amigos Garren e Drunnan também encaram uma viagem em busca do primeiro anão, mesmo não tendo muita noção de para onde ele estava indo. Em um palpite, seguem para o local onde um amigo de Rodan está sepultado, local este que ele sempre visitava antes de partir em uma nova jornada. Assim, intercalam-se capítulos contando – em terceira pessoa – o ponto de vista de cada grupo viajante. Temos então a ameaça de outras criaturas, os orcs e gigantes do gelo, além da presença de pessoas, como Hykoo e seu filho Leron, que abrigam Rodan no início de sua viagem. Já à trupe de Garren e Drunnan junta-se a humana Lyayna, o que rende momentos interessantes de interação com os anões, como o diálogo da busca de coragem para lutar no passado glorioso dos anões.


  Há ainda um outro plano no livro, aparentemente muito mais épico; os senhores das maiores cidades anãs e até senhores de outros povos se reúnem para chegar a um acordo frente às estranhas movimentações dos orcs. Conta-se que eles, antes sempre mal organizados, estariam sendo liderados por outra criatura, Gorgosh, o dilacerador de anões. Ao longo do livro é elaborada uma intrigante relação entre esses dois lados da história, o que dá essa pitada grandiosa à trama.
  Entretanto, apesar de eu achar o enredo muito interessante, o que mais se destaca aos meus olhos é a bela linguagem do autor. Tudo é contado de uma forma um tanto poética, inclusive, há uma certa mitologia que transcende o livro, representada nas gerações antigas de anões e seus feitos, mas principalmente na figura de seu deus Thanor. Além disso, há uma espécie de verso/oração que é repetida diversas vezes:
Que meu coração seja a forja, e tu o ferreiro,
Que o fogo da coragem me consuma, tal qual um braseiro,
Faz-me forte como o aço, e sólido como o rochedo,
Faz-me senhor da coragem, nunca escravo do medo,
Faz-me senhor do meu destino, senhor do meu amanhã,
Para a honra do meu deus, do meu rei e do meu clã.

  Enfim, dá pra perceber que eu super indico o livro, não é? O único ponto que deixa a desejar é a revisão do texto, pois algumas vezes percebi pequenos problemas de digitação, mas tenha em mente que não é nada que tire o valor do livro. A capa é bonita e a diagramação também é impecável, o que me deixou bastante satisfeita. Achei este um livro tão fascinante que até já prevejo uma releitura :)


  Gostaria de agradecer novamente o autor Charles William Krüger pela oportunidade da parceria. Aí está o link da page dele, caso você deseje curti-la ou encomendar um exemplar do livro. Também não deixe de adicioná-lo no Skoob ;)



7 comentários:

  1. O Jacó é um grande autor, e Verdadeiros Gigantes está na minha lista de compras, com certeza.

    http://desarranjocerebral.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que você tenha uma ótima leitura :)

      Excluir
  2. Livros assim são dignos extraordinários de leitura. Bela resenha e valeu pela indicação.

    dialetosecoisasboas.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza! Desejo muito sucesso ao autor!
      Obrigada :)

      Excluir
  3. Cris, eu preciso MUITO desse livro. Meus olhos brilharam só de ver a capa. Sério, que coisa linda! E o enredo também chamou bastante atenção. Lembrou bastante outro autor nacional de que falei para você, o Lauro Kociuba, em breve sai resenha dele lá no MeL, acabei de ler ontem e fiquei encantada pela história.
    Vou tentar entrar em contato com o Charles para ver se consigo parceria também. Quero muito!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ficaria muito feliz se vocês fizessem uma parceria :) Gostaria muito que houvesse uma divulgação maior desse livro e que o autor fizesse bastante sucesso! Ainda tenho que ler esses dois autores nacionais que você me indicou. Vamos ver se arrumo um tempinho depois de quarta, quando é minha última prova.

      Excluir
  4. Sua resenha ficou linda Cris! Já tinha visto esse livro antes, mas depois da sua resenha, meu interesse cresceu consideravelmente!! ;)
    Estou lendo um nacional agora também e está excelente! Mas não é fantasia. É uma mistura de distopia com suspense. Espero que continue bom até o fim!

    ResponderExcluir

Dê sua opinião sobre o assunto discutido acima :D

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Copyright © 2015 | Design e Código: Natana Duarte - Colecionando Livros | Uso pessoal