27 de fevereiro de 2016

Resenha do Livro: Jan Karski

  Olá leitores, tudo bem com vocês?

  Bem, hoje venho resenhar um livro que eu solicitei em parceria com o divo do Grupo Editorial Record. Para quem não sabe, estou fazendo uma série de posts em homenagem à ele; os links estarão lá em baixo =D

  Antes de começar, quero dizer que, igual a muitos leitores, tudo sobre as guerras me interessa muito, mas principalmente sobre o Holocausto/Nazismo. Gostaria de fazer aqui uma distinção entre as duas últimas citadas, que muitas vezes podem ser confundidas (eu confundia até pouco tempo atrás):

Holocausto: foi uma ação sistemática de extermínio dos judeus, em todas as regiões da Europa dominadas pelos alemães, nos campos de concentração, empreendida pelo regime nazista de Adolf Hitler, durante a Segunda Guerra Mundial (1939 -1945).

Nazismo: foi uma política de ditadura que governou a Alemanha entre 1933 e 1945, período que também ficou conhecido como Terceiro Reich, liderado por Adolf Hitler.

  Bom, basicamente Holocausto se refere à morte dos milhões de judeus devido àquela ideia de que os nazistas pertenciam a uma raça superior, chamada de raça ariana, e que as outras raças eram inferiores e deveriam ser aniquiladas, e etc. Já o Nazismo é a ditadura de Hitler em si. Espero que tenha ficado mais claro pra vocês =D Agora, vamos para a resenha.


Sinopse: Varsóvia, 1942. Jan Karski, mensageiro da Resistência polonesa, é levado por dois líderes do movimento judaico para visitar o Gueto de Varsóvia. Sua missão: testemunhar. Relatar ao mundo livre as atrocidades que ali ocorreram. Fazê-lo compreender o incompreensível. Karski cruza fronteiras em guerra e é capturado e torturado pela Gestapo, tudo em nome do valor de sua mensagem. No entanto, quando consegue falar, ninguém parece ouvir. Grandes homens como Felix Frankfurter, juiz judeu da Suprema Corte dos  Estados Unidos, e o presidente Roosevelt subestimam o que posteriormente será conhecido como Holocausto.

  Para começar, devo ressaltar que o livro se trata do Holocausto, ou seja, da morte dos judeus. Isso é ressaltado várias vezes no livro, principalmente na última parte.

  Basicamente, o livro é dividido em três etapas: a primeira é um resumo da entrevista que Jan Karski deu no documentário Shoah (traduzido como Holocausto) de Claude Lanzmann; a segunda é uma síntese do livro do próprio Karski, intitulado de Estado Secreto (A Story of a Secret State), em que ele relata seus anos de guerra; e a terceira e última é uma narrativa criada pelo autor do livro, Yannick Haenel, que o transforma em personagem, criando a situação descrita de acordo com seu ponto de vista.

  Bem, eu li algumas resenhas do livro e vi que a maioria das pessoas que leram não gostaram muito dessas duas primeiras partes; acharam que o autor deveria ter feito uma coisa mais original, em vez de ter resumido um documentário e um livro preexistentes. Diferentemente dessas pessoas, eu até que gostei do resumo da entrevista (primeira parte), uma vez que o autor coloca só os pontos principais e de vez em quando os comenta, aumentando o leque de conhecimento sobre o que aconteceu, algo a mais pra quem nunca havia assistido essa entrevista antes, por exemplo; mas, ainda assim, acho que essa parte não era algo totalmente fundamental, algo mais opcional, já que esse documentário é acessível eu acho. Em relação à segunda parte, eu gostei da síntese que o Haenel fez, já que para entender melhor o contexto, o histórico de Karski, uma descrição de seus anos de guerra e de suas tentativas falhas de avisar as pessoas sobre o Holocausto foram fundamentais. A terceira parte, em que o autor transforma Karski em personagem, achei bacana, mas o único ponto negativo é que ele fez um texto corrido, sem nenhuma quebra (separação/parágrafo), nem nada, o que tornou a leitura um pouco cansativa, mas mesmo assim o conteúdo não deixou de ser interessante.

  Um ponto que eu também adorei foi que, em várias partes do livro, principalmente na primeira, o editor, provavelmente, deixou algumas falas em inglês (língua em que a entrevista foi feita), o que faz com que a cena fique mais real para o leitor.

  A leitura é muito interessante, já que a todo momento pode ter alguma bomba (sentido figurado, gente); o leitor sempre quer saber o que vai acontecer ou não depois. A linguagem é fácil, mas algumas frases em inglês não são traduzidas, então pra quem sabe pouco ou nada da língua, pode incomodar um pouco; pessoalmente eu gostei.

  Essa edição é pequena, com 160 páginas, orelhas, folhas amareladas, uma boa fonte com um bom tamanho, e com uma capa não tão chamativa, mas intrigante (aquele trem, podendo ter diferentes interpretações para seu uso, com um jovem Jan na capa).

  Em suma, esse livro é uma ótima leitura pra quem se interessa por Holocausto, com um pano de fundo de Nazismo. É um livro pequeno, com não tantas páginas que possuem um leque enorme de novas informações para o leitor, e que, mesmo com alguns pontos negativos, não deixa de ser algo interessante e intrigante a todo momento.

Alguns links para mais informações sobre o livro:

 GER
 
P.S.: Logo postarei o resto dessa série em homenagem ao GER

Livros Solicitados - Série de Posts em Homenagem à Editora Record #1

História da Editora - Série de Posts em Homenagem à Editora Record #2
 
  Por hoje é isso leitores *-*
  Espero que tenham gostado... Beijos <3

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê sua opinião sobre o assunto discutido acima :D

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Copyright © 2015 | Design e Código: Natana Duarte - Colecionando Livros | Uso pessoal