12 de maio de 2016

Resenha do Livro: 13 Horas

O best-seller que deu origem ao filme dirigido por Michael Bay

  Olá leitores, tudo bem com vocês?


  Bem, hoje trago a resenha do livro 13 Horas, que solicitei e recebi em parceria com o divo do GER <3 Antes de mais nada, quero esclarecer que eu estou adorando ler livros sobre temas semelhantes à esse que o livro aborda e que esse foi sem dúvidas um bem marcante. Calma, calma, é só continuar lendo a resenha que vocês entenderão =D



Sinopse: 13 Horas apresenta, pela primeira vez, a história real dos acontecimentos de 11 de setembro de 2012, quando terroristas atacaram o Complexo da Missão Especial do Departamento de Estado dos EUA e o Anexo, base da CIA, em Benghazi, na Líbia. Uma equipe de seis soldados lutou bravamente para repelir os agressores e proteger os americanos que lá trabalhavam, indo além de suas obrigações e realizando atos extraordinários de coragem e heroísmo para impedir uma tragédia ainda maior. Este é seu relato pessoal do que aconteceu durante as treze horas do infame atentado. Pondo em pratos limpos o ocorrido em uma noite encoberta por mistério e controvérsia, este livro instigante leva os leitores para dentro da história desses heróis que arriscaram sua vida uns pelos outros, por seus compatriotas e por seu país. Escrito por Mitchell Zuckoff, autor best-seller do New York Times, 13 Horas é uma obra atordoante que fará o leitor arregalar os olhos – e, o mais importante, é a verdade. A história sobre o que enfrentaram aqueles homens – e a grandeza do que realizaram – é inesquecível.

  Bem, eu assisto muitas séries de TV sobre agentes do FBI e da CIA (Covert Affairs, The Blacklist, The Following), e eu adoro justamente por tratar dessas missões secretas e tudo mais. Porém, esse livro me chamou a atenção por não se tratar de ficção e sim de uma história real que aconteceu com pessoas reais, ou seja, a missão deles também era de verdade, não fictícia igual nas séries. Eu queria ter um contato pra ver como são essas empreitadas na realidade norte-americana, nesse caso.

  Uma característica que vale ressaltar é que, além da escrita do autor te tragar para dentro da narrativa, é impressionante como ele monta o quebra-cabeça da história, colocando os vários pontos de vista dos personagens (vou chamá-los assim, mas lembrem que eles eram pessoas reais) e reconstruindo o que estava acontecendo com eles ao mesmo tempo, ou seja, o que um e outro estavam fazendo, mesmo não estando juntos. Essa reconstrução da cronologia é recontada nos mínimos detalhes, sem nenhuma brecha pra detalhes fictícios. Como o próprio autor ressalta na Nota ao Leitor:

Embora escrito como uma narrativa, esta é uma obra de não ficção. Nenhuma cena ou cronologia foi alterada, nenhuma licença dramática foi feita e nenhum personagem foi inventado ou criado [...] Descrições de antes, durante e depois da batalha vieram dos homens que estavam lá, de relatos verificados ou ambos. Todos os diálogos foram ditos ou escutados [...] por fontes primárias. Pensamentos atribuídos a indivíduos vieram diretamente desses indivíduos.

  Como tudo é autêntico, realmente aconteceu com pessoas de carne e osso e não com personagens fictícios não estou desmerecendo-os, okay? haha, a narrativa dá um choque de realidade no leitor quando o último se lembra que tudo realmente aconteceu daquele jeito com pessoas de verdade.


  Há algumas partes "engraçadas", mas não se enganem, elas não foram acrescentadas pelo autor: seja por pensamentos dos personagens incluídos na narrativa ou por coisas ditas e/ou feitas pelos mesmos para aliviar a tensão durante a batalha (aliviando, consequentemente, a tensão do próprio leitor), estão descritas do jeito que aconteceram.

  A linguagem é fácil, com alguns termos diferentes (militares, secretos, etc) sendo sempre explicados no próprio enredo e raramente em notas de rodapé, sendo as últimas usadas mais para explicar outras coisas, como, por exemplo, siglas.

  Há também referências à cultura pop, como à séries e livros. Uma coincidência aqui é que um dos personagens antes da Batalha cita que estava lendo um livro do autor Kevin Maurer sobre a captura de Osama Bin Laden (lembre-se que a Batalha de Banghazi aconteceu no aniversário de 11 anos do 11 de setembro). Achei uma artimanha do destino, já que eu li o livro Caçando Che, que tem como coautor o Kevin, e resenhei também no blog (confira aqui), mais um ótimo livro solicitado do GER.

  Os capítulos são bem grandes, mas não poderia haver divisão melhor. Como tem coisas acontecendo o tempo todo, o leitor tende a não se cansar da história. Mesmo sendo um livro meio grande, com 347 páginas divididas em 13 capítulos e mais os adicionais, não me cansei dele em nenhum momento. A todo hora queria descobrir o que iria acontecer a seguir. Confesso que esse livro me marcou, me fez querer lê-lo o tempo todo e não me despedir dos personagens no final. Ainda bem que tem o filme, que mesmo eu tendo certeza de que não é nem metade tão bom quanto o livro, já mata um pouco da saudade. Fiquem de olho que assim que asstisti-lo vai ter resenha pra vocês *-*

  Outro ponto positivo é que no começo há um breve panorama histórico da Líbia (onde acontece a coisa toda), o que nos situa e implementa o leque de informações que o livro traz. Além disso há também vários mapas durante a narrativa que vão ajudando o leitor a se aprofundar na história e se "localizar no país".


  No meio do livro há uma seção com fotografias relacionadas à Batalha e também à seus participantes. Contamos também com algumas notas do autor que são indispensáveis, índice remissivo e uma super importante lista de personagens. Não há tantos assim, mas até o leitor se acostumar com os participantes, tende a se esquecer sobre quem está lendo em algum momento, e é aí que essa lista se torna imprescindível.


  Agora vou falar um pouco sobre a edição. O livro foi publicado aqui no Brasil pela Bertrand Brasil com a capa do filme não sei qual a capa original, e eu gostei dela, acho que se encaixa muito bem com a história. O livro possui 347 páginas e como já disse a narrativa é dividida em 13 capítulos mais os adicionais, como nota ao leitor, elenco, prólogo, epílogo, nota sobre as fontes, bibliografia selecionada, agradecimentos e índice remissivo. Além disso, o livro possui orelhas, as folhas são amareladas e cheirosas hahaha e tem uma ótima fonte com bom tamanho.


  Por último, recomendo esse livro pra quem se interessa pelo assunto, é claro, ou pra quem simplesmente tem curiosidade em saber o que exatamente aconteceu na Batalha de Benghazi, ou ainda pra quem assistiu o filme, gostou e quer mais hahaha

  E aí leitores, alguém já ouviu falar desse livro? Leriam?

  Beijos e até a próxima =D

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê sua opinião sobre o assunto discutido acima :D

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Copyright © 2015 | Design e Código: Natana Duarte - Colecionando Livros | Uso pessoal